segunda-feira, 22 de novembro de 2021

APA da Massambaba

Por Leandro do Carmo

APA da Massambaba

Data: 19/09/2020

Local: Figueira - Arraial do Cabo

Participantes: Leandro do Carmo




Tenho frequentado a Restinga da Massambaba ultimamente. Meu primeiro contato com o local foi há uns 20 anos quando fui à Arraial do Cabo e voltei pela RJ 102. Fiquei impressionado com o local é sempre que tinha que ir por aquela região , optava em passar por ali, apesar das péssimas condições da estrada. O tempo foi passando e por coincidência, minha vó comprou um terreno e construiu uma casa no bairro de Figueira. Aproveitando as idas e vindas, tenho frequentado mais esse pedacinho do paraíso... 


Esse foi terceiro dia de exploração pela região. As outras duas foram mais para conhecer as entradas e pontos de saída. Minha ideia inicial era entrar numa estradinha em Caiçara, caminhar pela praia e terminar em outra estradinha, algo em torno de 5km. 


Saí de casa por volta das 6h30min e cheguei cedo na casa da minha avó. Tomei um café da manhã e pedi para meu pai me dar uma carona até Caiçara. Dali comecei a caminhada. O dia estava um pouco nublado e não tinha nenhum vento, que é forte é constante na região. A estradinha de chão é bem estreita, mas está em boas condições. Ela corta toda a extensão da restinga da estrada até a praia. A caminhada de aquecimento foi rápida e logo passei pela Lagoa. Mais a frente passou um morador local é ofereceu carona, mas eu queria era caminhar! Já quase chegando à praia, ainda ajudei a desatolar um carro que ficou agarrado numa parte de areia da estrada. 


Em pouco tempo estava na praia. Estava deserta como sempre! Como estava sem vento, o mar estava tranquilo. As ondas quebravam antes do banco de areia. A cor da água era um espetáculo. Comecei a caminhada na areia branca e fofa. Só ouvia o barulho das ondas e alguns pássaros. Nem na metade do caminho, passei por uma curiosa construção, tipo uma torre de concreto. Faltava pouco para o destino que havia programado.





Mais ao fundo, já conseguia ver um pescador. Passei por ele é para a minha surpresa já estava no ponto onde existe uma outra estradinha que dá acesso à RJ 102. COMO havia chegado bem rápido, decidi continuar e caminhar até uma torre via bem longe de onde estava. Conseguia ver bastante casas também. Desse ponto para a frente não sabia o quanto iria caminhar, mas não tinha problema, o dia estava bem agradável e  e caminhar não seria o problema. 


Continuei andando e a paisagem continuava fantástica. Imaginei uma caminhada desse embaixo de um sol forte... Acho que não seria nada agradável. As vezes caminhava próximo à água, as vezes no alto, mais próximo às dunas. Bem ao fundo, a torre de telefonia na qual eu havia tirado como referência, parecia que não se aproximava.



Passei por um dos trechos mais bonitos do caminho, onde algumas dunas ficavam mais expostas. Mais a frente já conseguia ver algumas casas e bastante gente na praia. Continuei andando e logo cheguei ao ponto e vi que a torre de telefonia continuava bem longe. Pela quantidade de gente que tinha na praia, optei por entrar na primeira rua retornar. De volta a civilização, cruzei o centro de Figueira, e entrei numa rua, indo em direção à Lagoa. Minha ideia era seguir pela margem, em vez de caminhar na beira da Rodovia.


Não tinha certeza se daria para passar. Arrisquei e segui. Passei por algumas casas, mas logo estava em frente a uma salina desativada. Estava sozinho e sem civilização novamente. A água estava numa temperatura ótima e estava tão clara que podia ver os peixes nadando.



Faltava pouco para chegar... Já estava com 8 quilômetros de caminhada. Por sorte, foi possível, caminhar por toda margem e logo cheguei ao meu destino. Havia caminhado cerca de 10km. Na da mal para uma manhã de sábado nublado... Caminhar na areia fofa fez a panturrilha reclamar um pouco, mas deixa que com ela eu me entendo! Valeu pessoal, até a próxima. 














 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente aqui.