sábado, 30 de abril de 2022

Remada à Ilha de Cotunduba

Por Leandro do Carmo 

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba















Trajeto: Praia da Urca x Ilha de Cotunduba x Praia da Urca


Dia: 19/03/2022

Local: Urca
Participantes: Leandro do Carmo e Clube Carioca de Canoagem

Tempo total: 3h
Distância: 12,1 km
Velocidade média: 4,6 km/h
Velocidade máxima: 14 km/h  

Relato  

Voltando à Urca e ao Clube Carioca de Canoagem, ainda como a segunda etapa do curso de iniciação à Canoagem Oceânica. Consegui marcar uma remada no sábado. Cheguei cedo à Urca. Conseguir estacionar por lá já é uma aventura, mesmo chegando cedo. Consegui deixar o carro bem longe, numa rua sem saída. Dei uma caminhada e fui direto à sede do CCC. Como cheguei bem cedo, ainda fiquei esperando um pouco. Aos poucos, algumas pessoas foram chegando.

Ofereci ajuda para ir colocando os caiaques na areia, como uma forma de ir conhecendo as pessoas de lá. Alinhamos todos os caiaques próximos a água e fizemos os ajustes finais. O sol batia forte. Coloquei um boné e passei protetor solar, além de estar com uma camisa de manga comprida e proteção UV. Entre algumas conversas, o pessoal acabou decidindo remar até a Ilha Cotunduba. Eu, fiquei na minha. Qualquer lugar estaria ótimo. Com todos na água, iniciamos a remada.  

Hoje, estava bem diferente da última vez. O mar bem calmo e sem vento. Remamos entre as embarcações fundeadas e logo estávamos próximo a praia do Forte São João. Continuamos remando até chegar a ponto do Morro Cara de Cão. Ali pude ver os paredões do Forte São João bem de perto, uma novidade para mim. O Forte da Laje estava bem mais em frente e a Fortaleza de Santa Cruz, bem ao fundo, do outro lado da Baía de Guanabara. Me afastei um pouco dos costões, com medo de ser surpreendido por alguma onda. Não queria pagar esse mico logo na minha primeira remada.  

A remada estava bem agradável, mar calmo e quase sem vento. Passamos pela praia de fora e podia ver a face nordeste do Pão-de-Açúcar. Já estive várias vezes escalando o Pão-de-Açúcar, mas vê-lo por esse ângulo é algo bem diferente e fantástico. Seu paredão de gnaisse impressiona! Assim que alcançamos a parte mais extrema do Pão-de-Açúcar, a Ilha Cotunduba aparecia mais destacada na paisagem.  

Aos poucos, fomos nos aproximando. Já conseguia ver a Praia Vermelha. Nesse ponto, conseguia ver as bóias de balizamento do canal. Aí que me dei conta que estávamos na rota de grandes embarcações. Dei uma olhada ao redor e nenhum sinal. Somente pequenas embarcações.  Já bem próximos à Cotunduba, nos dirigimos à noroeste da ilha. Ali há uma enseada formada por uma extensão da ilha, deixando um local bem abrigado e ótimo para um mergulho.  

Tinham alguns pescadores na ilha. Ficamos ali durante um tempo. Aproveitei para beber uma água e fazer algumas fotos do local. Tínhamos uma vista bem bonita do morro do Leme e da praia de Copacabana. Deu para dar uma boa descansada e me preparar para a volta. Depois de um tempo ali, começamos a remar novamente. Contornamos a ilha pela ponta oposta a que chegamos, passando por fora. A volta foi bem rápida e cruzamos por mais embarcações de turismo, um cuidado extra para quem rema na região.  

Passamos novamente pelo Pão-de-Açúcar, Praia de Fora, Morro Cara de Cão, até entrar, novamente, na enseada, em direção à Praia da Urca. Uma ótima remada, num astral fantástico. Uma pena que a distância dificulte iniciar a remada ali pela Urca, mas quem sabe nos encontramos novamente pelas águas da Baía de Guanabara...

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba

Remada à Ilha de Cotunduba