quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Travessia Tupinambás - Parque da Cidade

Por Leandro do Carmo

Data: 12/12/2019
Participantes: Leandro do Carmo, Marcos Lima e Rafael Faria do Carmo











Vídeo da Travessia Tupinambás





Relato da Travessia Tupinambás

Ainda não havia feito a Travessia Tupinambás completa. Só havia feito partes... Já estava mais que na hora! A Travessia inicia na Praça Dom Orione em São Francisco e termina no Jardim Imbuí. São cerca de 8,5 km de caminhada. É uma travessia que foi concebida há pouco tempo, sendo a união de várias trilhas já existentes: Trilha dos Blocos, Bosque dos Eucaliptos, Circular do Parque da Cidade, Travessia Parque da Cidade x Cafubá, Trilha das Ruínas, e Mirante da Tapera. Uma excelente opção para quem quer conhecer a região.

Quando o Guia de Trilhas de Niterói foi lançado, em 2017, a Travessia Tupinambás ainda não tinha sido divulgada, apesar de que todo o caminho já existia. A ideia agora, era incluí-la na nova edição do guia. Como estava de férias aproveitei para fazê-la em algum dia de semana. Fomos eu, Marcos e o Rafael. Marcamos de nos encontrar cedo na Praça Dom Orione.

Iniciamos a caminhada, subindo a estrada que dá acesso ao Parque da Cidade. Na altura da quinta curva, entramos na trilha dos Blocos. Estava bem molhado e escorregadio. Fomos subindo e passamos pela discreta entrada do Campo Escola da Viração, uma boa opção para treino de chaminés em Niterói. A partir dali, seguimos subindo num ritmos mais forte até que chegamos ao final. Apesar de ser uma trilha curta, é uma excelente opção para um aquecimento...

Depois de estar novamente na rua, subimos mais alguns metros e entramos na Trilha dos Bosque dos Eucaliptos. Com seus grandes eucaliptos, essa trilha tem um visual fantástico. Uma caminhada fácil e rápido. Subimos sem muitos problemas e logo estávamos passando pelas ruínas . Ainda paramos na rampa para algumas fotos. A vista no Parque da Cidade é simplesmente fantástica!

Depois de um rápido descanso, continuamos a travessia. Entramos agora na Circular do Parque da Cidade. Uma trilha clássica da região. Seguimos por um caminho bem agradável até passar por um belo mirante à esquerda e depois seguir para o Mirante da Pedra Quebrada. Uma subidinha rápida para depois seguir caminho. Mais alguns minutos e estávamos no ponto onde viramos para a direita e continuar a travessia. Se tivéssemos pegado o caminho da esquerda, seguiríamos de volta ao Parque da Cidade.

Continuamos a caminhada e passamos por uma casa até chegar ao ponto de descida em direção ao Cafubá, mas antes, optamos por visitar um mirante onde ficava uma construção da antiga rádio Guanabara. Depois de algumas fotos, voltamos e seguimos caminho em direção ao Cafubá. Foi só descida. Como estava bem molhado, em alguns escorregava muito. Todo cuidado era pouco. Descemos e chegamos ao ponto onde entramos na Trilha da Ruínas. É uma curva bem acentuada. Há uma seta, mas não contem com ela. Pois já vandalizada algumas vezes.

Hoje a entrada está bem aberta. Bem diferente da primeira que fui lá com o Marcos Lima em 2015. Aliás, não é só a entrada, mas toda a trilha. O excelente trabalho de manutenção feito pelo Gestor do Parque, o Alex Figueiredo, e toda a equipe do voluntariado vem dando outra cara as trilhas da região. Em 2015 foi diferente... O caminho estava bem fechado. Havia muita vegetação e árvores caídas. Quase não havia frequência no local. Nesse dia que fizemos a primeira de muitas investidas no local, levamos cerca de 5 horas para subir e descer. Ainda precisei voltar lá outras diversas vezes para melhorar o caminho.

Depois de lembrar um pouco da história, seguimos andando até chegar num largo, onde há uma nascente . Dali subimos e entramos no Vale das Jaqueiras. Difícil conseguir contar quantas jaqueiras tem no local... Tem tanta, que às vezes fica difícil achar o caminho! Mais acima chegamos ao ponto onde dá acesso a vários pontos. À esquerda, segue para o Jardim Imbuí e será por onde retornaremos, à direita, segue para o Morro da Viração e em frente para as Ruínas e Mirante da Tapera.

Fomos em frente e logo veio o acesso ao primeiro mirante. O Marcos e o Rafael seguiram subindo. Mais acima um outro mirante. E depois de mais alguns minutos, estava chegando nas ruínas. Talvez esse teria sido mais um posto de observação. É uma construção muito parecida com a que tem próximo à sede do Parque da Cidade. Faltavam alguns metros até o mirante. Segui andando e logo encontrei o Marcos e o Rafael.

Ali fizemos nossa última parada. Descansamos um pouco e voltamos para o último trecho. Agora seria só descida. Voltamos até o trecho onde dos acessos a outras trilhas, só que agora, viramos à direita e seguimos descendo até o Jardim Imbuí. É um trecho bem tranquilo, sem bifurcações. Até que descemos rápido esse trecho. Foram 4 horas de travessia, contando com as paradas. Ao final, ainda paramos em um dos restaurantes que tem na região para comer alguma coisa e descansar. Um excelente dia!







Um comentário:

Comente aqui.