domingo, 30 de junho de 2013

O sonho da Ás de Espada

Por Vitor Pimenta


Enfim, foi realizado um sonho! E claro, foi preciso uma jornada para realizar esse feito!

Essa jornada começou meio sem querer onde conheci essa via pela primeira vez a convite do Marden e Huani.onde fizemos "apenas" a 1º enfiada guiados pelo Huani. Dali nasceu a paixão.

Passado um tempo, surgiu a oportunidade de voltar lá, dessa vez,  acompanhado pela Nereida. Tomei coragem e assumi a ponta da corda até a 1º dupla, o que seria, mais ou menos, a metade da 1º enfiada. O restante fui participando e no primeiro lance de 6sup cai 2 vezes. Quando cheguei no segundo lance de 6sup, que fica na 2º enfiada, não aguentei de dor no pé e resolvi descer. Agradeço a paciência de minha irmãzinha em ter descido comigo dali, rs.

Procurei desde então focar um treino no urubu alternando nos regletes do fingerboard e voltei mais uma vez participando com a Bia e os betas do Guizzard que nos guiou até a P2. E como fui bem, resolvi entrar guiando na primeira oportunidade. 

Assim que me senti mais forte chamei o Paulo Guerra pra entrar comigo. Sabia que ele vinha com o treino focado e ganhando volume na escalada e percebi logo que ele era outro de quando o conheci no Morro Tucum. Assim que ele chegou na P1 com o dedo mindinho enfaixado ele vira com cara de "cão sem dono" e pede pra guiar... negar guiada é que nem negar água:  nunca sabemos o dia de amanhã, rs. Ele assumiu a guiada e tocou 4 grampos. Montou a parada, me puxou e logo me vi guiando o primeiro lance de 6sup. No meio do lance dei uma escorregada, mas por sorte minha mão tava boa e consegui me segurar dominando o lance. Passei pela retinha do Ás e puxei o Paulo pra P2. O lance seguinte (a diagonal de 5º) estava molhada e rapelamos dali felizes por termos dado nosso melhor.

Mas o melhor não foi o suficiente. Queria terminá-la. Colocá-la no curriculum. Então fui pra cima. Nesse meio tempo procurei saber tudo o que podia sobre a 3º enfiada e a maioria das pessoas falavam que ela era mais forte e mais exposta.

Coloquei na lista pra ver quem se animava e o Sandro logo se prontificou. Peguei vários betas no dia anterior com a Nereida que foram fundamentais e me senti mais confiante.

Decidimos deixar as mochilas na base e rapelar da P3 e que o Sandro ficaria com a 1º enfiada. Sandro tocou a enfiada úmida e mesmo com o coração na mão tocou com agilidade e logo foi minha vez de assumir. Passei pela 2º enfiada com muito mais confiança e logo me preparava para começar a diagonal da 3º. Adrenei bem na saída, diagonal com queda de platô, mas haviam muitos pés e enfim havia chegado no  lance de 6º. Os grampos são um pouco mais longes enfeitados por micro agarras numa parede bem vertical. Dentro do lance percebi que tinha entrado errado e que estava preso com o pé direito numa merdinha e minha mão esquerda num biquinho pontiagudo que começava a ferir meu indicador pela pressão da adrenalina. Analisei a queda e vi que não me machucaria, porém... se eu conseguisse trocar os  pés terminaria o lance com uma pernada alta. Desescalei e consegui entrar certo. Enfim, tinha superado o lance e o resto foi só subir a cristaleira e me ancorar.

Sandro seguiu ainda mais a direita de um buraco que tem no meio do lance e terminou com maestria. A P4 é uma enfiada de 3º com 2º grau que preferimos não fazer para subir sem peso.

Tiramos fotinhas com o teto ao fundo, e rapelando, fiz uma anotação mental: apresentar o Sandro ao Dino para comungarem suas piadinhas do pavê ou pra comer.


Born to Be + Pitbull Aventura 




terça-feira, 25 de junho de 2013

Stand Up em Icaraí - Mais um vídeo: de Icaraí até São Francisco

Por Leandro do Carmo

Niterói é um lugar abençoado! Um passeio pela praia de Icaraí até São Francisco. Na volta eu e o Guilherme pegamos um vento contra que deu um pouquinho de trabalho... Mas valeu a pena!

Confira!!!




Vídeo em HD

terça-feira, 18 de junho de 2013

Vídeo da Trilha das Torres de Bonsucesso

Por Leandro do Carmo

Escrevi o relato há um tempo atrás, mas nem sempre as palavras são capazes de descrever a beleza de uma lugar... Por isso gosto de postar os vídeos também. De certa forma, se completam!

Torres de Bonsucesso é um lugar fantástico! Confira.

Link para o relato: http://pitbullaventura.blogspot.com.br/2013/05/trilha-torres-de-bonsucesso.html

Video em HD

terça-feira, 11 de junho de 2013

Vídeo da Escalada na Via M2 - Babilônia - Urca RJ

Por Leandro do Carmo

Fala Pessoal,

Segue o vídeo que fiz da escalada na via M2, no Morro da Babilônia. Um escalada num fim de tarde muito agradável, junto com meu amigo Leandro Pestana. A Urca é sempre a Urca....

Link para o relato: http://pitbullaventura.blogspot.com.br/2013/04/escalada-na-via-m2-babilonia-urca-rj.html



Vídeo em HD

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Corrida da Ponte 21km


O que te move? Por Guilherme Belem.


Ponte Rio-Niterói





 Cerca de 2 meses atrás, estava tomando meu café matinal na lanchonete da academia (café maravilhoso ), quando a meu lado Bruno  fazia todos os trâmites da inscrição de uma corrida. Ele junto com o Rafinha (Personal trainers como “eu”, e trabalham na mesma academia) tem uma equipe, e estão sempre participando de muitas competições. 

Sou do tipo corredor amador. Gosto muito de treinar  qualquer atividade, vivo em movimento, porém ultimamente tenho pedalado muito, e corria 5km no máximo 10km.
 Ao inscrever o Alex (também professor), o Bruno me pergunta: - E aí partiu ponte? Meio receoso parei para pensar... 
Alex que se inscrevera logo pressionou: - Bora Guilherme! Você é caveira, treina um pouco e mandará bem.
Aceitei o convite. Tive um frio na barriga, pois com meus conhecimento em treinamento pensei logo no trabalho que teria. Afinal a ponte tem 13 km, contudo o percurso total marcaria 21km, MEIA MARATONA!Não é pitbull aventura?!Comecei a treinar.
Com exatamente duas semanas de treinamento me senti confiante e já executei longas distâncias.
Alex Bichara, Romulo (Romalô) e Bruno.
O grande dia chegou! Fui com tudo! Reunimos a equipe de Niterói, e marcamos antes para uma pequena troca de idéia no Clube Regatas em frente a Academia Tio Sam cuja equipe faz parte. 


Estavam todos os atletas: Carrete, Diego Vilela, Alex , Bruno, Rafinha , Márcio , Romulo, Patrícia, Fábio Castelo, Ariane , Erico entre outros alunos. Encontramos o restante no centro.
A largada é no Teatro Popular de Niterói, próximo ao centro e a chegada é no início do Aterro do Flamengo. 
Chegamos cedo, preparamos todos os adereços característicos de um corredor como: Filtro solar, boné ou viseira, Ipod, carb UP, chip, numeração na camiseta e etc. A documentação e chaves podem ficar no guarda-volume dos organizadores, pois serão levados ao destino final.
       O Nervosismo fazia o coração bater mais forte. A multidão estava animada.
Que energia maravilhosa! 
       Tribo muito diferente da galera da montanha, parecia um peixe for d’água. Meus amigos  davam algumas dicas bem estratégicas, como não queimar a largada (definição para não forçar a barra no início) e terminar a competição bem, racionar o gel e administrar a água.
Muita gente reunida e nenhum tumulto, parecia , na verdade uma grande festa.
A largada é fracionada, para que os amadores não atrapalhem o pelotão de elite.
        Dada a largada, a galera se desloca eufórica e cada um que passava ou era ultrapassado do meu lado, incentivava. Rapidamente procurei me afastar da multidão e acabei acelerando no início. O primeiro km dá um passeio pelo centro de Niterói até chegar à ponte pela contra mão, passado o pedágio descemos uma ladeira por debaixo da ponte, fizemos o retorno e seguimos na via correta.
Próximo ao vão central
        Olho para o lado e tenho um maravilhoso presente, uma vista linda do Rio e ao lado Nikity city! A cada passo fico mais ofegante e cansado não obstante feliz por cada feito.
        Durante essa trajetória passo por muitas pessoas, cada um com sua história, fantasia, ideal. Muitos, mas não a maioria, fora do shape, o que me fez pensar que não importa o físico, mas sim a vontade de vencer. 
        No segundo para o terceiro km começa a brincadeira: O vão central que dura quase 4 km, como escalador a ladeira nunca foi problema para mim, e lá não fora diferente. Vencido tal percurso controlei a velocidade movida por um ritmo forte que Bruno imprimia desde o início.
          O 8º km foi sob controle depois de um gelado copo de gatorade.
Os postos de hidratação não tinham quilometragem fixa e variavam a cada 2km salvo engano. A minha lista de reprodução (no ipod) parecia sincronizar com a pista, no 14ºkm tocou um rock ‘n’ roll pesadão na temida “Perimetral”, pensei: É hora do ataque! Comentei com Bruno para aumentarmos o ritmo, ele disse: - Demorô! Daí começou a rolar: Enter Sandman , Saint Anger (Metallica) em seguida Slipknot, aí ferrou!
No 19ºkm tinha até chuveiro para a galera refrescar, dispensei ,pois, não queria escorregar na pista.
Bruno Pereira, Guilherme Belem e Iuri Galdino
               Encontramos com Iuri e Carrete no finalzinho que nos deram muita força e partiram juntos. No 20ºkm já estava mortinho, mas nem pensava em parar, nem olhava para os lados e parecia estar fora do corpo só assistindo. 
               O último km foi fácil, exceto pelos 100m onde ficou uma galera gritando, impulsionando de uma forma tão bacana, que eu e o Iuri demos um sprint que só deus sabe como tenho pernas hoje.
                Fim de prova! 
                   Tempo: 1:42’ 
                Ufa! Pitbull Aventura vencendo mais um lance!
Galera Tio Sam Running
Lembrança da conquista!
Tô pronto para outra, partiu!?
Nada como treinar consciente e vencer o percurso, e pensar que o vencedor fez em 1:06’!
O corpo não é nada, a mente sim é tudo. “Só vemos obstáculos em nossos objetivos, quando deixamos de focalizar as metas”

Abraço! Guilherme Belem- Personal Trainer . 
Márcio, Rafael Vianna (Rafinha) e Alex.
Assista o vídeo: