terça-feira, 5 de junho de 2012

Escalada no Bananal - Itacoatiara - Parque Estadual da Serra da Tiririca

Vias do Bananal – Diversas – Campo Escola Helmut Heske

Local: Bananal – Itacoatiara- Parque Estadual da Serra da Tiririca

Data: 02/06/2012
Participantes: Leandro do Carmo, Guilherme Belém e Luiz Gabriel

DICAS: Várias vias em top rope; verificar estado de conservação dos grampos

O tempo estava ótimo, mas foi só o final de semana se aproximar, que as nuvens foram aparecendo. No final de semana passado, tentamos organizar uma invasão ao Costão, mas sem sucesso. A chuva implacável interromperam nossos planos. Fiquei com medo de também não conseguir fazer nada nesse final de semana. Recebi algumas ligações de pessoas interessadas em escalar conosco, mas a minha resposta era sempre a mesma: “se o tempo deixar... me ligue amanhã de manhã para confirmar”.

Para piorar, na sexta, por volta das nove da noite, caiu uma chuva, que desanimaria até mesmo os mais otimistas!!!! Mas sou brasileiro!!!! Então, no sábado, às sete da manhã, já estava de pé. O tempo havia melhorado, abri a janela e me empolguei. Comecei a arrumar as coisas. O Guilherme ligou e falei com ele que já saindo. Me atrasei um pouco, pois tive que colocar meu filho para dormir. O Luiz me ligou e queria saber se estava tudo certo. Ele ainda estava no Rio, mas a caminho. Como ele conhecia o local, marquei com ele direto Bananal.

E assim fomos, demos uma pequena parada para o café da manhã e partimos para Itacoatiara, que por sinal estava linda com o mar agitado. Chegamos a entrada o parque, assinamos o termo de compromisso e começamos a trilha. O caminho bem molhado devido a chuva da noite anterior. Chegamos rápido ao Bananal. O tempo estava agradável. O sol aparecendo entre as nuvens deu uma esquentada, mas nada de mais. Subimos o primeiro bloco e decidimos onde montar os tops. O primeiro foi na primeira ponta, à esquerda, onde no alto tem um grampo. Preparei o top rope e desci para dar uma analisada na linha que pretendia fazer.

Preparei minha câmera nova, queria fazer outros ângulos com ela montada no capacete. O Guilherme subiu primeiro. Em top rope tem mais liberdade. Dá para  tentar lances e movimentos que talvez não se tentaria em outras situações. Chegou a crux, tentou e queda. Foi a minha vez, o começo é tranquilo, lá no alto, tem um negativo que exige bastante dos braços e dedos. Não deu... Queda também!!! Cada um tentou mais duas vezes e nada. Cheguei até a avançar uma passada, mas sem sucesso de chegar ao cume.

Para relaxar, fui pelo lado esquerdo da aresta. Mais fácil, porém bem técnica. A mão esquerda entalada numa fenda, ajuda a vencer um lance. Nessa via, a coisa foi mais fácil. Voltei até a base e o Guilherme, insistente, foi de novo. Subiu e quando estava quase lá...  toma!!! Foi tão forte, que subi uns dois metros do chão e ainda queimei a mão. Em compensação, ele veio parar na metade da via, pura adrenalina!!!!

Depois dessa, resolvemos mudar de via, fomos mais para a esquerda. Depois de lavar a mão que ardia, montei o top em outro grampo. Era uma linha mais suave, o crux um pouco mais com aderência. Enquanto montava, o Luiz apareceu, pensei que ele não viria mais.

Descemos até a base e dessa vez, fui o primeiro a subir. O começo é tranquilo, exceto por um cacto, que se der mole, ele fura suas costas. Essa linha é boa, tem oposição, aderência e um lance tipo boulder no final, onde tem que usar força e técnica. Todos completaram duas vezes a via e fomos para a terceira. Essa, virada para o mar. Já havia tentado subir antes, queria me livrar do cacto, mas sem sucesso. Montei o top junto com o Luiz e ele desceu rapelando. Não deu para tentarmos a via, a corda não corria. Tem uma barriga que dá muito atrito. Tem umas marcas na parede onde mostra que os grampos foram retirados, acho que devido a grande ação da maresia e por segurança, alguém resolveu tirá-los.

Abortamos o top naquela parede e como já era 13:30, resolvemos para por ali. Na próxima, montaremos o top com uma fita ou solteira maior, assim os mosquetões ficarão abaixo da barriga. A linha é bem interessante, muito vertical e técnica. Essa via ficar para a próxima.
Então galera, até a próxima!!!!


Clique aqui para ver todas as fotos.


Fotos











Um comentário:

  1. Você é muito rápido no gatilho mesmo, mal posso esperar para ver as quedas na Go pro! Até a próxima! Abraço Guilherme Belem - Personal Trainer guilhermebelem@gmail.com.

    ResponderExcluir

Comente aqui.