quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Escalada - Via Luiz Arnaud / Itacoatiara - Niterói

Por Leandro do Carmo

Via Luiz Arnaud 2º III E2
Itacoatiara – Niterói RJ

Data: 12/11/2011
Participantes: Leandro do Carmo e Guilherme Belém.

Toda vez que eu ia a praia de Itacoatiara, pensava: ainda vou escalar o costão. Não tinha nenhuma noção de como se fazia escalada, os equipamentos que utilizava, etc. Fui diversas vezes escalaminhando até o Camaleão (pequena mata no lado esquerdo, em frente ao gramado no final da rua da praia) e uma vez subi andando pelo lado esquerdo.

Com o croqui na mão, resolvi que seria hoje!!!!! Conversei com o Guilherme e ele aceitou a aventura. A via é bem tranquila, graduação de de 2º III E2, porém visual grau 1.000.

Chegamos na praia por volta das 08:00 da manhã, o sol ainda não batia no costão, fomos até a areia onde deixamos a Sarah, minha esposa, e Viviane, noiva do Guilherme e o Theo, filho dela. Nos preparamos e começamos a subida com uma escalaminhada até o platô de mato, quase na linha da arrebentação.

Quando chegamos lá nos arrumamos e o Guilherme guiaria os primeiros lances. Demos uma última olhada no croqui, conferimos o equipamento e iniciamos a escalada.

O Guilherme chegou à primeira parada, foram quase os 60 metros de corda na primeira enfiada. Iniciei a subida. Comecei pelo lado da direita, um lance de aderência com pequenas agarras. No começo o sol começava a aparecer, mas logo era encoberto por algumas nuvens, o que tornava a escalada muito agradável. Devido ao baixo grau de dificuldade, cheguei rapidamente a primeira parada. Passei as costuras para o Guilherme que iniciou a segunda enfiada.

Mais um esticão de mais ou menos 50 metros e o Guilherme montou a segunda parada. Mais uma subida tranquila com um lance mais difícil, porém sem problemas. Cheguei a parada e me preparei pois iria guiar esse final. Iniciei a subida chegando, na minha opinião, ao crux da via. Bem vertical mas com boas agarras. Nessa hora, o sol começou a esquentar. Olhei para o alto e cadê as nuvens?

Cheguei até um ponto onde precisaria de uma horizontal grande. Coloquei uma costura maior e fui embora. Nessas horas o arrasto da corda vai ficando cada vez maior. Montei a terceira parada e o Guilherme iniciou a subida.

Uma pausa para água e iniciei a quarta enfiada, essa talvez, a mais fácil de todas. Fui subindo e quando vi, já estava no topo do costão. Parecei um alienígena chegando, um monte de gente lá em cima batendo foto, perguntando como eu cheguei lá, etc.

Já no topo, fiz a segurança de corpo para o Guilherme subir. Como já não tinha mais contato visual, puxei  a corda três vezes para ele subir. Deixei a corda bem esticada e na medida que ela afrouxava, eu a puxava. Não demorou muito e ele chegou.

Arrumamos as coisas e descemos pela trilha do PESET. Na volta, avistamos um grupo que estava escalando o morro do Telégrafo. Quem sabe a próxima via a ser escalada?

Para ver as fotos, clique aqui.

Via Luiz Arnaud

Via Luiz Arnaud


Via Luiz Arnaud

Via Luiz Arnaud

3 comentários:

  1. Saberia dizer qual o equipo necessário? Quantas costuras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Everton, para fazer a via precisa de pelo menos 6 costuras. Se tiver pelo menos duas longas, vai ajudar muito no arrasto da corda. A via foi regrampeada recentemente.

      Excluir

Comente aqui.